Aluno Egresso


Perfil do Egresso

Egresso com perfil profissional, humano, autônomo e com responsabilidade social, para atuar com qualidade, efetividade e resolutividade, no Sistema Único de Saúde. Profissional qualificado para o exercício de Enfermagem, com base no rigor científico e intelectual, pautado em princípios éticos. Capaz de conhecer e intervir sobre as necessidades de saúde da população, identificando as dimensões bio-psico-sociais-espirituais, afetivas e os seus determinantes. Capacitado a atuar, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano, mediante o desenvolvimento do cuidado de enfermagem, da coordenação e supervisão desse cuidado, da atuação como docente no processo de formação profissional, de educação permanente em saúde e de educação em saúde, bem como, mediante o desenvolvimento da pesquisa dos fenômenos nos campos de saúde individual e coletiva.

Desse modo, o egresso estará apto a:

  1. Atuar profissionalmente, compreendendo a natureza humana em suas dimensões, em suas expressões e fases evolutivas incorporando a ciência/arte do cuidar como instrumento de interpretação profissional, estabelecendo novas relações com o contexto social, reconhecendo a estrutura e as formas de organização social, suas transformações e expressões;

  2. Desenvolver formação técnico-científica que confira qualidade ao exercício profissional nas áreas do Cuidado de Enfermagem na Atenção à Saúde Humana, Gestão/Gerência do Cuidado de Enfermagem e dos Serviços de Enfermagem e Saúde, Educação em Saúde, Desenvolvimento Profissional em Enfermagem, Investigação/Pesquisa em Enfermagem e Saúde, contribuindo assim para o enfrentamento dos desafios diante das transformações da sociedade, do mercado de trabalho e das condições de exercício profissional.

  3. Reconhecer a saúde como direito e condições dignas de vida e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema;

  4. Desenvolver seu trabalho pautado pelo pensamento crítico, promovendo o acolhimento e a comunicação efetiva com indivíduos, família, grupos e comunidade, garantindo a privacidade, confidencialidade e veracidade das informações compartilhadas, na interação com o usuário, profissionais de saúde e o público em geral.

  5. Reconhecer as relações de trabalho e sua influência na saúde; desenvolver o processo de enfermagem como orientador do cuidado sustentado no raciocínio clínico, crítico, ético e humanístico;

  6. Responder às especificidades regionais de saúde através de intervenções planejadas estrategicamente, em níveis de promoção, prevenção e reabilitação à saúde, dando atenção integral à saúde dos indivíduos, família, grupos e comunidades e fazendo escolhas mais assertivas acerca do seu cuidado de saúde e projeto terapêutico singular, das famílias e das comunidades;

  7. Atuar como sujeito no processo de formação de recursos humanos, reconhecendo-se como coordenador do trabalho da equipe de enfermagem e desenvolver seu trabalho pautado pelo pensamento crítico, promovendo o acolhimento e a comunicação efetiva com indivíduos, família, grupos e comunidade, garantindo a privacidade, confidencialidade e veracidade das informações compartilhadas, na interação com o usuário, profissionais de saúde e o público em geral, assumindo o compromisso ético, humanístico e social com o trabalho multiprofissional em saúde;

  8. Identificar as necessidades individuais e coletivas de saúde da população, seus condicionantes, desenvolvendo ações de enfermagem nos diferentes cenários da prática profissional por meio do processo de enfermagem, da sistematização da assistência de enfermagem e de um sistema de linguagem padronizada como tecnologia, considerando os pressupostos dos modelos clínico e epidemiológico com foco no raciocínio clínico, processos de viver e morrer, e nas necessidades de saúde individual, física e mental, coletiva e comunitária, considerando a legislação e as políticas de saúde;

  9. Coordenar o processo de cuidar em enfermagem, considerando contextos e demandas de saúde, prestando cuidados de enfermagem compatíveis com as diferentes necessidades apresentadas pelo indivíduo, pela família e pelos diferentes grupos da comunidade;

  10. Desenvolver a gestão do Cuidado de Enfermagem na atenção primária e na rede de atenção à saúde, com base nos indicadores de saúde, assistenciais e gerenciais, no âmbito individual e coletivo, considerando os diferentes contextos, demandas espontâneas e programáticas de saúde, características profissionais dos agentes da equipe de Enfermagem, a fim de qualificar os processos de trabalho e seus resultados;

  11. Desenvolver ações de liderança da equipe de Enfermagem na horizontalidade das relações interpessoais, mediada pela interação e diálogo em respeito ao outro, promovendo a qualificação da equipe de Enfermagem por meio de atualização e educação permanente, e a tomada de decisão fundamentada no Planejamento Estratégico Situacional;

  12. Gerenciar o processo de trabalho em enfermagem com princípios de Ética e de Bioética, com resolutividade tanto em nível individual como coletivo em todos os âmbitos de atuação profissional;

  13. Planejar, programar e participar dos programas de formação e qualificação contínua dos trabalhadores de enfermagem e de saúde;

  14. Utilizar os instrumentos que garantam a qualidade do cuidado de enfermagem e da assistência à saúde, respeitando os princípios éticos, legais e humanísticos da profissão, reconhecendo o papel social do enfermeiro para atuar em atividades de política e planejamento em saúde;

  15. Participar da composição das estruturas consultivas e deliberativas do sistema de saúde;

  16. Reconhecer e respeitar diversidades étnico-racial, de classes sociais, religiosas, de necessidades especiais, de diversidade sexual de gênero, de faixa geracional, bem como a necessidade de desenvolvimento profissional permanente, frente à complexidade das necessidades de saúde individual e coletiva, as mudanças no processo de trabalho em enfermagem e saúde e as práticas avançadas em enfermagem nos diferentes âmbitos do sistema de saúde;

  17. Buscar estratégias e ações para seu desenvolvimento profissional e o reconhecimento da identidade do enfermeiro e sua importância junto às equipes de saúde, promovendo a valorização profissional, desenvolvendo valores de modo a contribuir para o desenvolvimento do respeito e dignificação do trabalho do enfermeiro e da equipe de enfermagem.


Atualizado por: Francisco Rafael Ribeiro Soares em 12/09/2022 (Setor para Contato: FAEN - Departamento de Enfermagem )

Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN
Rua Dionísio Filgueira, 383, Centro - Mossoró/RN | 59610-090 | faen@uern.br | (84)3315-2151
© 2012 Agência de Comunicação da UERN - AGECOM | agecom@uern.br | 84 3315-2144 / 3315-2115 | Sistema de Controle de Páginas

^